O Cordel de Maria CinDRAGrela, concebida para tratar temas como o machismo e a misoginia junto ao público infantil, deve fomentar discussões acerca do tema em todo o seio familiar.

O espetáculo é uma releitura de Cinderela, famoso conto infantil, e tem o seu desenrolar de maneira leve, divertida, contando, inclusive, com números musicais. Um dos principais papeis da peça é fazer críticas agridoces à temática citada anteriormente.

A protagonista, Maria Cin-drag-rela, reside no interior do Nordeste com sua madrasta Germana e suas duas filhas Anastácia e Griselda. A solidão de Maria, ocasionada por conta da morte de seu pai, é atenuada por três amigos inseparáveis: o calango Tião, a galinha Januária e a cabrita Açucena, responsáveis por ouvir os desabafos e sonhos latentes na cabeça de Maria.

A monotonia da vida de Maria chega ao fim quando o Coronelzinho, filho do Coronel Moura, retorna à cidade após um longo período se aventurando. Por ordem de seu pai, e a seu contragosto, o Coronelzinho é obrigado a procurar uma noiva pelas redondezas para que dê netos ao seu pai. Maria, por si só, não consegue conciliar os seus afazeres domésticos com a preparação pessoal para ir ao jantar ofertado pelo Coronel, e é a partir daí que a Drag Madrinha entra em cena.O espetáculo, indicado ao Prêmio Braskem de 2016 na categoria Melhor espetáculo infanto-juvenil, é dirigido por Marconi Arap e foi escrito por Lando Augusto.

De 05/06/2016 à 30/10/2019

Inteira: R$ 40 | Meia: R$ 20

Direção: Marconi Arap

Elenco: Diogo Watanabe, Karol Senna, Lando Augusto, Larissa Raton, Luis Santana, Michael Cardoso, Milla Borba, Rafael Pedral, Victor Corujeira e Vinícius Pimentel. 

Local: Salvador